Fios de ovos, brigadeiros, bolos e afins

Quando éramos crianças, minha mãe fazia salgados, doces e bolos sob encomenda. A lembrança mais antiga que tenho foi de um domingo, eu deveria ter, no máximo, uns 11 anos, e ela estava deitada no quarto, com fecbre. Só que tinha que entregar um bolo para uma Bodas de Ouro que já estava pronto, só faltavam os fios de ovos. Ela me chamou no quarto e disse: “Dê (era assim que ela me chamava), você faz um favor pra mamãe? Não consigo levantar, será que você faz os fios de ovos pra mim?”. Eu respondi que faria, mas pensando com meus botões: como será que toda aquela gema se transforma em fios de ovos? Ela disse: “Eu vou falando e você vai fazendo”. E assim foi. “Põe tanto de água na panela tal... Mistura tanto de açúcar na água... Deixa ferver... Enche uma colher e vai soltando até formar um fio... Coloca as gemas naquele funil de três furos e vai fazendo movimentos circulares...” Pois bem, eu fiz tudo o que ela mandou. E não é que os fios ficaram ma-ra-vi-lho-sos? Nunca mais ninguém lá em casa fez fios de ovos, só eu. E eu nunca errei. Com certeza porque ela me ensinou da maneira mais doce que os próprios fios de ovos.... Se a encomenda pedia docinhos, era eu e a Tali que enrolávamos. E para que a gente não comesse, tínhamos que cantar. Quando a gente já estava cansada de cantar (eram músicas do Corinho da Escola de Música, em duas vozes porque eu era soprano e a Tali, contralto), minha mãe falava para assobiar. E quando a gente ficava quieta de vez, ela gritava lá da cozinha: “Não estou ouvindo nem música nem assobio”. Hahahahahaha.... E a gente não cantava só enrolando brigadeiros e beijinhos, a gente cantava também arrumando a cozinha. Dá para imaginar o quanto a gente cantava porque, além do monte de gente que morava na casa, tinha ainda as louças das encomendas... Daí que veio meu dom para arrumar cozinha.... rs... Outra lembrança que tenho é quando o Marcos ajudava minha mãe nas esfihas. Como ele sempre foi alto, tinha que abaixar para fechar as benditas e deliciosas esfihas. Quando acabava, ele deitava no chão para eu pisar nas costas dele.... eu praticamente andava e ouvia os estralinhos.... Não sei bem, mas eu devia ser bem pequena....

Comentários

Flávia disse…
Mas, que delícia lembrar da infância!! Mãe é tudo mesmo
Cacá disse…
Os melhores fios de ovos ... Quantas lembranças gostosas ....
Unknown disse…
uauuuuuu!!!!! tem que fazer pra angie....ela adora ovo!!!!
Nicole Elias Valentini disse…
Ownnnn que lindo! Eh tão engraçado imaginar vcs pequenos kkkk

Postagens mais visitadas deste blog

Viva mesmo após a morte

09 de novembro de 1989

08 de agosto de 1990