Velha é a vovózinha!

Quando a gente ouve uma história triste pela qual ainda não passamos, fica difícil avaliar como reagiríamos diante do fato. Mas depois de mais de 40 anos vividos, o que é difícil é não ter passado por uma história triste. Ainda bem porque somos formados por alegrias, dores, crises, abundâncias..... Pois eu nunca havia passado pela sensação de me sentir imprestável. É pesado sim, mas tô querendo dizer imprestável no sentido de não estar servindo pra mais nada. De ser descartável. Concordo que ninguém é insubstituível, mas ninguém é descartável diante da vida. Todos temos um valor único. Eu não sou igual a ninguém mais, e isso serve para absolutamente todos nós. E no mundo do trabalho isso chega a ser cruel. Porque eu achei que estávamos anos-luz daquela época em que a pessoa com mais de 40 anos não conseguia trabalho. Hoje vivo numa realidade em que os mais de 40 não é que não encontram mais trabalho, não é isso. É ser considerado ultrapassado. E isso eu não aceito. Tenho 43 e muita coisa a oferecer. Muita mesmo. Não aceito e não aceitarei nunca a bobagem de que 'estamos velhos, temos que deixar os jovens tomarem os nossos lugares'. Se fosse assim, deveríamos nos aposentar então aos 45. Para morrer aos 50. Tem mulheres hoje tendo filho aos 50, tá doido?????? Essa é uma idéia pequena, minúscula aliás, onde o maduro deve ser descartado e com ele, toda experiência e dedicação e maturidade. Hoje não há mais respeito pelo companheiro de trabalho, por aquele que precisa e se doa tanto quanto vc. Essa é a porrada mais cruel da vida. E ter que viver nesse meio ao invés de estar vivendo por quem - e com quem - nos ama e a quem amamos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Viva mesmo após a morte

09 de novembro de 1989

08 de agosto de 1990