Gripe suína

Uma breve explicação do que é a GRIPE SUÍNA ou INFLUENZA SUÍNA, segundo infos da OMS.

O que é Influenza ou Gripe Suína?
Doença causada por vírus da Família Orthomyxoviridae, Gênero Influenza Tipo A (afeta aves e mamíferos), Subtipos (H1N1 – mais comum, H1N2, H3N1, H3N2, entre outros). Tem alta MORBIDADE (alta taxa de portadores na população) e baixa MORTALIDADE (1 - 4% da população). Transmissão entre suínos: por aerossóis e contato diretoindireto com objetos contaminados. Sazonalidade: outono e inverno em zonas temperadas. Condição: endêmica em algumas regiões (restrita) e controlada pela vacinação dos animais.
Quais as implicações na saúde humana?
Os sintomas são semelhantes à gripe: aparecimento repentino de febre, tosse, dor de cabeça intensa, dores musculares e nas articulações, irritação nos olhos e fluxo nasal. Pode evoluir para uma pneumonia severa que resulta em morte.
Como as pessoas se contaminam?
Normalmente, quando lidam diretamente com os suínos (trabalhadores rurais), mas foram registrados casos sem este histórico. A transmissão homem-homem ocorre nos contatos em locais fechados e nas aglomerações.
É seguro comer carne suína e seus derivados?
SIM. O vírus é morto a temperaturas de cocção de 70°C e tem baixa resistência em condições ambientais fora das células vivas, onde faz a replicação.
Onde foram detectados surtos de Gripe Suína?
Não há monitoramento de surtos pela OIE (Organização Internacional de Epizootias). A doença é endêmica nos EUA e surtos recentes já foram registrados na América do Norte e do Sul, Europa (Reino Unido, Suécia e Itália), África (Quênia), e partes da China e Japão.
Quais os riscos de pandemia com distribuição mundial?
Nos casos em que uma variante do vírus sofrer mutação e se tornar eficiente na transmissão homem-homem ou formar-se um híbrido entre a Gripe Humana e Suína. Fica difícil fazer uma previsão do impacto, pois depende de fatores como: virulência do vírus, imunidade natural da população, proteção cruzada com anticorpos existentes contra gripes mais comuns e fatores individuais do hospedeiro.
Existe vacina para prevenção?
NÃO. Porque os vírus Influenza sofrem variações muito rápidas e a eficiência dos programas de vacinação dependem do perfeito “casamento” entre os vírus componentes da vacina e os circulantes em populações diferenciadas. E ATENÇÃO!!! As vacinas atualmente produzidas com base nas recomendações da OMS (Organização Mundial de Saúde) NÃO CONTÊM os vírus da Gripe Suína!!!
Quais os medicamentos disponíveis para tratamento?
Antivirais como AMANTADINA, RIMANTADINA, OSELTAMIVIR e ZANAMIVIR. Mas os casos anteriormente registrados de Gripe Suína em humanos se curaram sem uso de medicamentos.
********************************************
Comentários
O surto detectado em Março2009 no México e EUA (Texas e Califórnia) parece ser de uma variante desconhecida, mais próxima ao H1N1, a mesma que causou a Gripe Espanhola em 1918-1920.
Foi o vírus Influenza A subtipo H1N1 (Gripe Suína) que causou a morte de 20 a 100 milhões de pessoas no mundo entre 1918 e 1920, sendo também conhecida como Gripe Espanhola, mas que, no entanto, foi detectada pela 1ª vez em Fort Riley (Kansas, EUA) e em Queens (NY), partindo pra Europa e se espalhando pela Grécia, Espanha, Portugal, Dinamarca, Noruega, Países Baixos e Suécia, atingindo severamente as tropas dos exércitos. A Gripe Espanhola atingiu principalmente a população jovem, fugindo do padrão da Gripe Aviária de 2005 (H5N1), que afetou principalmente as pessoas em contato direto com as aves e levou a óbito os imunossuprimidos (HIV’s positivos). Embora não seja tão fácil a transmissão homem-homem, vírus sofrem muitas mutações na passagem entre hospedeiros, o que abre um leque de possibilidades.
Na nomenclatura H1N1, H = Hemaglutinina e N = Neuraminidase, duas glicoproteínas que distinguem os subtipos de vírus em padrões de reconhecimento por anticorpos. Os suínos são reservatórios do vírus Influenza A (H1N1 e H3N2) e estão frequentemente envolvidos na transmissão interespécie dos vírus de gripe.
Na periferia da Cidade do México, observa-se a mesma “promiscuidade” da produção de aves dos países asiáticos no advento da Gripe Aviária. Suínos são alimentados com restos de lavagem (é proibido a destinação de milho para alimentação animal) ou de resíduos urbanos, são criados em condições precárias e perambulam pelas ruas com íntimo contato com os seres humanos. Ademais, a cidade do México com seus 20 milhões de habitantes na área metropolitana, historicamente tem problemas com poluição atmosférica, pois se situa numa depressão que impede a dispersão do ar e confere o 4º lugar de pior qualidade do ar do mundo. Portanto, a orientação governamental é de que se evitem contatos muito próximos, como nas aglomerações. A falta de água em determinadas áreas, e a precariedade do saneamento público com contaminação dos lençóis freáticos e com o esgoto correndo a céu aberto nas periferias, torna o odor da cidade insuportável no verão e facilita a disseminação de doenças.
As máscaras que vemos na TV sendo utilizadas pela população podem auxiliar, mas não impedem a contaminação pela doença.
AINDA NÃO HÁ REGISTRO DE CASOS EM HUMANOS DESTE SURTO NO BRASIL!!!
Evitem viajar para o México ou EUA (Texas e Califórnia) neste período!!!--
Dra Miwa Y Miragliotta
Médica Veterinária

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Viva mesmo após a morte

09 de novembro de 1989

08 de agosto de 1990