Eu leio, ele lê.....


Com certeza, o amor pela leitura herdei da minha mãe. Me lembro, ainda pequena, dela me cobrar ler em voz alta algum livrinho. E minha memória mais remota de leitura foi um livro que se chamava Cazuza. Depois de ler toda a coleção Vagalume, acabei descobrindo Machado de Assis, que eu simplesmente amei, depois veio a coleção quase que inteira do Érico Veríssimo e tantos outros autores brasileiros. Me apaixonei também por Milan Kundera, mas depois de alguns anos, e nem sei bem porque, parei de ler. Parar de ler é um exagero, mas não leio mais com avidez. Mesmo assim, desde que Giovanni nasceu, teve contato com os livros. Ainda bebê, com aqueles de plástico, que a gente leva pra banheira... Graças a Deus, hoje ele é louco por livros. Tanto que ama qualquer coisa que se refira a eles e a Nobel é passagem obrigatória quando vamos ao shopping. E essa semana ele me disse: "Mamãe, por que você nunca me levou numa biblioteca?". Eu disse que vou levar. E lembrei de quanto eu amava biblioteca. Vivia enfurnada na do colégio. E ia à municipal também. Consigo até sentir o "cheiro de livro" que pairava no ar, quando a gente manuseava as fichas.... Quantos títulos.... E eu pensava "Será que alguém já leu todos os livros daqui?" E ficava imaginando como seria a cara de quem leu tudo aquilo. Na biblioteca municipal trabalhava um moço que mancava. E eu achava que ele era o homem mais bem informado do mundo porque trabalhava na biblioteca. Ele deveria saber de tanta coisa.....
Pois dia desses eu disse pro Gi que ele tem que ler livros que não tenham figura também. E ele me disse que não, livro sem figura é muito chato. Aí expliquei que a coisa mais gostosa é imaginar as figuras, as cenas, dentro da cabeça da gente.... E ele me perguntou se era como um sonho.... Eu disse, isso mesmo, como um sonho.....

Comentários

Anônimo disse…
Ude, indiquei o sei blog para o Prêmio Dardos. Abaixo estão as regras para participar. Depois entre no Dando Nota e copie o selo que está lá e coloque no seu também, caso aceite-o.
Abraços!

“Com o Prêmio Dardos se reconhecem os valores que cada blogueiro emprega ao transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais, etc. que, em suma, demonstram sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras, entre suas palavras. Esses selos foram criados com a intenção de promover a confraternização entre os blogueiros, uma forma de demonstrar carinho e reconhecimento por um trabalho que agregue valor à Web”.

E as regras são:

1) Exibir a imagem do selo;

2) Linkar o blog pelo qual você recebeu a indicação;

3) Escolher 5 outros blogs a quem entregar o Prêmio Dardos;

4) E avisá-los, claro!

Postagens mais visitadas deste blog

Viva mesmo após a morte

09 de novembro de 1989

08 de agosto de 1990