O nó


Amanhã faz dois anos que meu pai partiu. E desde o momento que minha mãe me lembrou da data, um nó instalou-se na minha garganta. E aqui está. E parece que não quer sair. Tenho muitas lembranças dele já adulta, mas puxando pela memória, lembro-me de um dia em que ele me levou ao "bar" para comprar garrafas de "refresco", já que eles estavam comemorando 20 anos de casamento. Logo, eu tinha 7 anos. No caminho, que na época para mim era longo e hoje eu conto dois quarteirões, eu disse "Nossa, pai, 20 anos de casado". E ele respondeu: "20 anos de enforcado". Não entendi a brincadeira, mas me lembro que fiquei com pena dele. E durante muitos anos da minha vida tive pena dele. E só hoje eu entendo que minha pena era porque meu pai era calado. E os calados, para mim, eram coitados. Hoje sei que eles são sábios. Muito sábios. Gostaria de ter puxado esse lado do meu pai. Porque sei que quem muito fala, muito erra. E ele me dizia que a gente tem uma boca e dois ouvidos justamente para ouvir mais e falar menos. Meu irmão, após ler um post sobre o meu pai, me escreveu uma coisa linda. "Minha mulher fez, assim que viu o sofrimento que todos nós enfrentávamos após a morte de nosso pai, um comentário que me marcou: 'Quando morrem, as pessoas que amamos saltam para dentro da gente'. E é dentro de mim, e de cada um de nós que nosso pai continua vivendo. O que é mais enriquecedor é o fato de não termos do que perdoá-lo, já que ele - sem qualquer vaidade, sempre deu o máximo que podia, sem reclamar nem se queixar. Grande pai.Saudades." Com toda razão, indo, meu pai saltou para dentro de mim. E me orgulho muito disso.

Comentários

Anônimo disse…
Nossa, dois anos...
Ude, eu admiro muito seu pai, não só pelo que a gente ouve falar dele, mas também pelos filhos. Por vc, que eu conheço bastante, e pelos seus irmãos, pois sei que todos são fortes, batalhadores, talentosos e inteligentes, e acho que essa é uma forma também de ele se perpetuar.
Um beijo grande, obrigada pela amizade!
Adoro vc!!
Pa
Anônimo disse…
O "nó" do seu texto, pode ser visto como uma oportunidade a mais para compreendermos o "nós".
Bj
Ando por aí... disse…
Segurei para não rir quando passava os olhos nos "20 ano de enforcado" (estou aqui trabalhando).
Penso no teu pai logo penso no São Paulo Futebol Clube, na poltrona dele e no heroísmo em ter criado tantos filhos !
Existe uma camiseta por aí com dois bonecos estampados, uma noiva e um noivo. Embaixo está escrito: GAME OVER. Há, há, há... é isso mesmo ! A brincadeira acabou ! (quando se tem filhos então...!)

Postagens mais visitadas deste blog

Viva mesmo após a morte

09 de novembro de 1989

08 de agosto de 1990