BBB

Não sou dessas que assistem um negócio e lascam o pau. Mas assiste. Eu, quando não gosto de algum programa de tevê, não vejo e pronto. Pois ontem eu assisti o BBB. Não acompanho, mas confesso que acompanhei assiduamente uma vez. Até torci e sofri por alguns participantes. E ontem eu resolvi ver. Como não sou telespectadora, me vejo no direito de comentar, ou melhor, criticar. Acho que esse tipo de programa deve ter alguma coisa que agrade tanta gente. Mas o que será? Juro que não consigo imaginar. Ontem teve prova do líder e o vitorioso ficou num sei quantos minutos contando qual foi a sua "estratégia". Depois, pares falavam mal de seus desafetos. Depois, casais conversavam sobre seus relacionamentos. Depois todo mundo falava mal de todo mundo. Depois não aguentei e fui dormir. Não houve um segundo de um papo que prestasse. Tudo descartável. Pior, tudo insuportavelmente oco. E fiquei imaginando como deve sentir-se quem está lá e tem algum conteúdo. Mas será que alguém que se propõe a participar de um programa nesses moldes tem algum conteúdo? E os sites???? Em todos, absolutamente todos, que a gente entra tem um pitaquinho, uma historinha, um comentariozinho sobre o BBB. O mundo em crise, o Lula pisando na bola (leia-se o caso Battisti), o desemprego batendo na nossa porta, a escola pela hora da morte, o salário que não sobe, o aluguel que sobe, o saco que enche e a população vendo BBB. Querendo guerrinha, briguinha, intriguinha, torcendo pro mocinho, odiando a mocinha. E mais uma vez eu penso em que mundo meu filho vai viver. Com que valores ele terá que lidar? E meus netos????? Rezo pra que nenhum de meus parentes ou descendentes sejam BBBs. Porque eu juro que vou revirar no túmulo e puxar o pé de quem me fizer essa vergonha!

Comentários

Anônimo disse…
Ude.
Não dá pra saber em que mundo os filhos vão viver. Quem contava com uma crise como essa, nascida nos States, fruto de muita irresponsabilidade? Quase ninguém. Alguns economistas mais céticos em relação ao ufanismo que acompanha o "crescimento" das economias mundo afora.
Se não dá pra saber sobre o mundo dos filhos quando adultos, dá para agir em relação à educação das crianças. É a maneira como os pais se encarregam de seus filhos, os valores que transmitem a eles, a luta pela educação de qualidade - não estou falando de escolas, hoje mais para "ex-colas" do que o sentido original, grego, tema para outra conversa - e o aprendizado da coragem para enfrentar a realidade e o respeito aos limites que essa mesma realidade impõe, que podem fazer com que o mundo venha a ser melhor lugar para se viver. Uma coisa, já a fazer, é não dedicar tempo para entretenimento que não contribua com a educação. Aprendi num artigo que se encontra no livro "As coisas são assim", que o que esperamos que nossos filhos aprendam se traduz em dois verbos: pensar e argumentar. Só isso dá um trabalhão. Que vale a pena.
Bj procê e pro Giovanni
Anônimo disse…
É, Ude, beibe, blog novo, mas eu avisei, sua..... (rsssssss)! Vc gostou??
Esse post sobre o bbb é muito bom, e também gostei bastante deste comentário sem assinatura!
beijos, bom finde pra vcs!

Postagens mais visitadas deste blog

Viva mesmo após a morte

09 de novembro de 1989

08 de agosto de 1990