Santa Catarina

Estou absolutamente triste com todas as notícias que estou lendo sobre as tragédias que abatem o Estado de Santa Catarina. Quando e como podemos nos preparar para esses desastres naturais? Nessas horas me lembro da insignificância do ser humano diante da força da natureza. Nós não somos nada, mas vivemos como se fôssemos o centro do mundo. Eu sou igual a você, igual ao fulano e ao ciclano. Não importa onde vivamos, como vivamos. O que nos faz iguais é a grandeza do universo. Diante dele, somos irremediavelmente iguais: brancos, negros, asiáticos, católicos, judeus, muçulmanos, ricos, pobres, poderosos e humildes. Somos irmãos. Quando uma coisa dessas acontece, não poupa ninguém, mesmo os que não são materialmente afetados, pois quem vive na nossa cidade, no nosso estado, no nosso país, é nosso irmão. E deveria ser assim com todos os habitantes desse nosso tão castigado planeta. Se enxergássemos dessa forma, o mundo seria muito melhor, pois eu não vou destruir minha "casa", já que ela abriga também bilhões de outras pessoas. É tão difícil???? É. E por que? Porque, ao invés de sermos solidários, de vivermos em harmonia, queremos poder. O que ganha mais, o mais inteligente, o que mora na casa mais bonita, o que tem o carro mais possante, o que estudou mais..... Mais, mais, mais, sempre mais. Até onde isso vai dar???? Qual será o futuro do homem? Já vivemos numa época onde se mata por uma porcaria qualquer. Porque alguém achou que o outro lhe olhou torto. O pai que não quer pagar pensão pros filhos. A mulher que quer a fortuna do marido. O vizinho que tem inveja do outro. O sentimento de posse de um homem por uma mulher que deixou de amá-lo.... O filho drogado que esfaqueia o pai, a mãe, a avó. Dá pra reverter esse quadro? Dá sim, se eu começar no meu círculo. Se eu mudar de atitude com o meu vizinho, com o meu colega de trabalho, com a caixa do supermercado, com o guarda de trânsito, com meus familiares e meus amigos. Se eu me enxergar no outro. Me colocar no lugar dele. Me lembro do filme "A corrente do bem". Maravilhoso. Podemos começar assim, com uma coisa bem simples.

Comentários

Chico Muniz disse…
É isso aí, Ude: a transformação do mundo começa pela mudança interna de cada um. E as tragédias/calamidades provocadas pela natureza são, se repararmos bem, apenas uma manifestação do que trazemos dentro de nós...
Isso implica em que precisamos urgentemente modificar nossos pensamentos e controlar muitas de nossas emoções. Para nosso próprio bem.

Postagens mais visitadas deste blog

Viva mesmo após a morte

09 de novembro de 1989

08 de agosto de 1990