Ironia do destino

Estava lendo uma matéria na página do jornal O Globo - que eu amo, e li que o pai da coitada da Eloá é suspeito, dentre tantas barbaridades, de ter matado a primeira esposa. E fiquei pensando nas coincidências da vida. Ou melhor, nos fatos da vida porque eu não acredito em coincidência. O cara teve que perder a filha, de uma forma trágica, pra ser reconhecido. E se Deus quiser, punido por tantos crimes. Ás vezes as coisas acontecem de um jeito que não dá pra acreditar, né! Mas no fundo, no fundo, acredito que o que fazemos aqui, é aqui que pagamos. Porque nada do que é feito na surdina, fica mto tempo encoberto. Diz o dito popular que o diabo ensina fazer, mas não ensina esconder. E essa é uma verdade, seja pra qualquer coisa errada. Aliás, não acredito que exista classificação pra coisas feitas pra prejudicar alguém. Pra mim é td igual. Querer tirar a vida ou "matar" uma pessoa inventando coisas e "puxando o tapete", pra mim, é a mesma coisa. Porque, no final das contas, o que vc quer mesmo é fazer o mal pra alguém. E como eu vivo dizendo e repetindo, maldade é o ó do borogodó!!!!

Comentários

Chiz disse…
Por aqui aprendemos que o mal que nos faz mal é o mal que fazemos e não o que nos fazem.
Mas a maldade é como vc diz: o ó.
Abraços.

Postagens mais visitadas deste blog

Viva mesmo após a morte

09 de novembro de 1989

08 de agosto de 1990